Prefeitura Municipal de Capanema

Ir para o Conteúdo Principal da Página Ir para o Mapa do Site

Máxima. 27ºC Mínima. 15ºC

Lideranças políticas e empresarias de Capanema manifestam preocupação com a paralisação das obras da UHE Baixo Iguaçu

Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Paralisação das obras já esta trazendo reflexos negativos no movimento do comércio local bem como na área social devido as mais de 800 demissões já efetuadas

Foi realizada na manha da quinta-feira, 21, no gabinete da prefeita Lindamir Denardin uma reunião que contou com a participação do presidente da Associação Comercial, Luiz Hartmann, da presidente da Câmara de Vereadores Izolete Schneider e dos empresários Edimedes Moura, Alaor Dreher e Pedro Adonis Krugel, onde discutiu-se a situação envolvendo a paralisação das obras da UHE Baixo Iguaçu, que já esta trazendo reflexos negativos no movimento do comércio local bem como na área social devido as mais de 800 demissões já efetuadas, onde a maioria dos trabalhadores demitidos são dos município de Capanema e Capitão Leônidas Marques.

“É uma situação extremamente preocupante e uma insegurança muito grande que vivemos hoje no município, onde 800 funcionários já foram demitidos, muitos empresários fizeram investimentos e contrataram mais funcionários, os trabalhos que a empresa estava realizando como a ampliação de creches, construção da Companhia da Policia Militar, recuperação de estradas vicinais esta tudo parado e o que mais nos entristece é que não tem uma justificativa concreta para paralisar a obra, visto que o ICMBIO já havia se manifestado emitindo sua anuência previamente à Licença Prévia de Instalação”, afirmou a prefeita Lindamir Denardin

“Realizamos esta reunião para tomarmos ciência do que realmente esta acontecendo e a nossa preocupação procede, pois muitos empresários fizeram investimentos e se programaram para uma obra que vai durara 3 ou 4 anos e de repente é surpreendido por uma liminar da justiça suspendendo a obra, então a gente não pode simplesmente ficar olhando esta situação sem fazer nada. Precisamos pensar em algo que reverta esta situação urgentemente”, destacou o presidente da ACEC Luiz Hartmann.

“Como empresário eu gostaria de lembrar a todos que nós estamos neste mês absorvendo 25% de reajuste na energia elétrica, logo em um momento como este a gente vê uma paralisação por questões burocráticas e judiciais travando um empreendimento neste porte, não se pode admitir uma paralisação como esta de forma pacífica, eu acho que a população de todos os municípios envolvidos tem que se manifestar para que não aconteça esta paralisação”, afirmou o empresário Edimedes Moura.

 “Nós como empresários capanemenses temos que nos mobilizar, pois são mais de R$ 3,5 milhões em salário que deixaram girar no comercio local neste período de paralisação, então não podemos ficar de braços cruzados esperando o fechamento da usina eu acho que temos que imediatamente nos mobilizar”, disse o empresário Alaor Dreher.

“É o momento para toda a população se unir e manifestar sua indignação, pois não se justifica esta paralisação, pois o projeto da obra está atendendo todos os critérios da legislação ambiental e legais, inclusive a justificativa de que o ICMBIO não forneceu a licença prévia ambiental não é verdade, pois em 2008 o ICMBIO emitiu sim a anuência com parecer favorável a instalação da usina, por isso o Legislativo estará junto com a nossa população se manifestando contra esta situação injusta com o nosso município”, ressaltou a presidente da Câmara de Vereadores Izolete Schneider.

Tweet

Compartilhe essa notícia

27º 15º MANHÃ TARDE NOITE

Municipio de Capanema